quarta-feira, outubro 26, 2005

O Senhor das Armas



"Há mais de 550 milhões de armas de fogo circulando pelo mundo. Isto é, uma para cada 12 pessoas. A única pergunta: como armamos as outras 11?". Assim começa a autobiografia do traficante de armas Yuri Orlov (ótima interpretação de Nicolas Cage), que narra sua ascensão no ofício, das primeiras vendas a gangues no Brooklyn até se tornar um magnata no mundo turbulento do pós-Guerra Fria.

O roteiro do diretor Andrew Niccol (o mesmo de Show de Truman) é espertíssimo, cheio de diálogos rápidos e inteligentes. Destaco a primorosa sequência inicial, que mostra a trajetória de uma bala desde sua fabricação em algum país da Europa Oriental até estourar a cabeça de um adolescente na África. Yuri se retrata como um anti-herói: determinado, criativo, ousado mas consumido pelo desejo insaciável de riqueza e reconhecimento social, que acaba tragando todos os que circulam a sua volta.

As atividades de Yuri atravessam Alemanha, Líbano, Colômbia, Ucrânia, Libéria e Serra Leoa enfrentando a Interpol, traficantes rivais e clientes pouco confiáveis. O roteiro ressalta o quanto governos precisam de homens como Yuri, para fazer o serviço sujo de armar aliados indigestos, sem deixar impressões digitais. "O Jardineiro Fiel" vê o mundo em preto e branco, aqui estamos nas tonalidades do cinza.

Recomendo o filme a todo mundo com interesse em relações internacionais. Se você for meu aluno, entenda essa dica como um dever de casa, o roteiro parece uma aplicação prática das nossas discussões teóricas sobre a “fragmentação das ameaças” no pós-Guerra Fria.

4 Comentarios:

Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Carissimo,

Assisti ao filme por aqui e achei o filme mais ou menos. A discussao da primeira hora do filme eh interessantissima, mas o segundo "ato" (a vida do Cage com a familia) peca pelo sentimentalismo e arrasta um pouco o filme.

O Nicholas Cage tem que estar na lista dos 10 maiores atores que interpretam a si mesmos, concorrendo com Evandro Mesquita, Woody Allen e (recentemente) Jack Nicholson.

Mas gostei muito do ator que faz o ditador da Liberia e, claro, da discussao sobre a "etica" do mercado e a "etica" da guerra.

Grande abraco.

outubro 26, 2005 12:19 PM  
Blogger Claudia said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Acho que o Cage é o Cigano Igor de Hollywood. Mas reconheço que ele sabe escolher bons papéis. Devo assistir o filme na próxima semana.
Bjão!

outubro 27, 2005 8:35 AM  
Blogger Goldmoon said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Em geral não sou muito fã dele, mas Cage tem bons momentos em filmes como Matchstick Men. E concordo com a Claudia, ele sabe escolher bem seus papéis. Tem alguma coisa que me incomoda na cara dele. :P

outubro 27, 2005 8:49 AM  
Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Meus amigos,

espero que Cage não passe por este blog! Costumo gostar dos filmes dele, o único que não me agradou muito foi o Adaptação.

Achei o Senhor das Armas muito interessante, pelos temas que coloca em cena, pelo cinismo do protagonista. Não é todo dia que se vê um filme assim.

Abraços

outubro 27, 2005 2:27 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com