terça-feira, agosto 16, 2005

Refletindo com a História




Com a morte de Miguel Arraes se vai o último líder político da República de 1946, a geração que viveu a primeira grande experiência democrática do Brasil e que levou adiante o que foi até agora nossa mais promissora tentativa de conciliar desenvolvimento econômico e reforma social. Arraes, talvez mais do que qualquer outro expoente da época, foi o responsável por implantar os direitos trabalhistas da Era Vargas na zona rural, então sob ebulição das Ligas Camponesas e do método Paulo Freire. Ele nos ensinou que alfabetização e salário mínimo são medidas revolucionárias, sobretudo no interior. Continuam a ser.

Gostaria que seu velório não tivesse sido contaminado pelo clima de polarização política que se espalha pelo país, mas isso era quase inevitável. Os aplausos a Lula e as vaias a Serra e Alckmin mostram que o presidente continua a desfrutar de apoio entre os movimentos sociais e creio que esse sentimento está presente em boa parte do eleitorado mais pobre e de menor instrução. Não é à-toa que a oposição maneja o impeachment cautelosamente, mais como um mecanismo para pressionar o governo no rumo de um acordo de bastidores.

Ainda falando sobre história do Brasil, conversei com militantes de esquerda com vários anos de estrada e lhes perguntei se a derrota que sentiam agora era pior do que a do golpe militar de 1964. Foram unânimes em me dizer que sim. Na queda de João Goulart foram vencidos por inimigos políticos, com um projeto que claramente se contrapunha ao deles. O clima era de raiva e revolta, de partir para o enfretamento. Hoje, eles se sentem confusos e desorientados - acharam que haviam conquistado o poder e deram de cara com os escândalos de corrupção e com uma agenda política muito diferente da trajetória do PT.

Disse a eles que ao menos tinha um consolo: em 2045, quando o Brasil estiver na sua milionésima crise política, poderei me gabar afirmando que dura mesmo foi a época dos escândalos no governo Lula. Meus futuros ouvintes irão me encarar espantados, como a testemunha da História.

2 Comentarios:

Anonymous Marcus Pessoa said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Adorei o último parágrafo, Maurício. Vir conferir seus posts aqui tem ajudado a lavar minha alma às vezes...

Abração!

agosto 17, 2005 12:24 PM  
Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caro Marcus,

obrigado, escrever estes posts certamente ajuda a clarear um pouco minhas idéias e desabafar vastas emoções e pensamentos imperfeitos.

Abraços

agosto 18, 2005 11:32 AM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com