quinta-feira, junho 23, 2005

O Efeito Orloff

Conversando com uma colega e amiga argentina ontem à tarde, a primeira pergunta que ouvi foi: "mas o que está acontecendo com o seu país?" Como ela chegou ao Rio anteontem, está se familiarizando com o clima político forçadamente. Basta ler as manchetes dos jornais ou ligar a TV.

Já havia discutido com o Mauricio sobre isso em outra ocasião, mas se prestássemos mais atenção de maneira geral à política argentina, comparando-a mais freqüentemente com a nossa, veríamos uma série de coincidências difíceis de serem ignoradas. Minha amiga argentina não se cansava de repetir as semelhanças da crise política brasileira atual e da crise enfrentada por Fernando de la Rúa -- tanto Lula como de la Rúa foram eleitos a partir de uma desilusão com a política econômica, uma esperança de moralização política e com o apoio de uma base social ampla. A desilusão popular vem quando a política econômica não se altera (de fato o modelo se aprofunda), a corrupção vira moeda corrente de troca (lembrem que o estopim da crise argentina foi a compra de votos no Congresso Argentino) e uma desilusão profunda da opinião pública a respeito de uma solução política para a crise.

Claro que é bom lembrar que, quando a crise estourou na Argentina, restavam ainda três anos de mandato a de la Rúa, o que transformava quase toda sua presidência em uma exercício de sobrevivência de crise. Mais ainda: o partido peronista é uma força no país que não tem paralelo no nosso. Com tudo isso, a sociedade argentina esgarçou-se e conhecemos o resultado: de la Rúa caiu e a economia argentina se afundou no buraco em que estava. Não creio que atingiremos este ponto, mas é importante lembrarmos da Argentina.

Ao fim da conversa, minha colega comentou: "o grande problema é que vivemos em crise constante, a única coisa que varia são os graus desta crise." É triste. Mas é verdade.

4 Comentarios:

Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Meu caro,

sem dúvida há muitos pontos em comum. Mas me saltam aos olhos mais duas diferenças na Argentina:

1-Lá a economia já estava muito ruim, no Brasil o quadro é estável.

2-O vice-presidente renunciou em protesto contra a corrupção. No PT, ninguém parece estar vivendo um dilema de consciência.

Mais tarde posto sobre minha reunião de ontem em Brasília. Novidades de bastidores...

Abraços,

junho 23, 2005 10:49 AM  
Blogger Sergio Leo said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caros, essa diferença da economia é essencial. Sua amiga argentina esqueceu que o governo de la Rúa enfiou um corralito garganta abaixo dos argentinos, congelando economias e desvalorizando brutalmente a popuança em pesos que os hermanos achavam valer o mesmo que o dólar... E ainda manteve por um tempo como ministro o mesmo Domingo Cavallo que enterrou a economia argentina.
De la Rúa assumiu em pleno desmoronamento da ilsuão argentina em relação à estabilidade do peso, a tal convertibilidade. Os argentinos começavam ali a perceber a degradação brutal de seu padrão de vida, criado com as políticas equivocadas do Menem. O peronismo estava em frangalhos, em meio a disputas internas (bom, o PT não está lá tão coeso assim, mas é diferente)...
Ao contrário da Argentina, pelo menos por enquanto os indicadores macroeconmicos brasileiros agradam ao mercado financeiro, aos economistas, ao formadores de opinião na grande imprensa, ao contrário do que se passava com de La Rúa. E, com todas s encrencas, a economia está crescendo (menos, muito menos que devia), a inflação caindo, e índices de emprego aumentando. Não há comparação. O que há é um desencanto geral da população com a política e as anternativas de esqeurda. E isso é apavorante.

junho 23, 2005 5:47 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caros,

Sinto discordar, mas a economia brasileira não anda bem das pernas não. O crescimento é pífio, os juros escorchantes e a carga tributária imoral. Para completar, esta semana tive a infeliz notícia de que meu pai, faltando apenas três anos para terminar a contribuição ao INSS, acaba de perder o emprego, pela total incapacidade da empresa em que trabalha de trabalhar sob juros de tal monta e dólar depreciado que desfavorece as exportações.

Caro Sérgio,

Você tem razão quanto ao corralito e ao peronismo (fatos que minha amiga também mencionou, por supuesto). Com todas as diferenças, ainda acho que a crise pode atingir proporções bem grandes. Cientistas Políticos são assim mesmo, tendemos sempre a imaginar os piores cenários -- se eles não se concretizam, então ficamos felizes. E a desilusão com soluções políticas parece crescer a cada dia no Brasil. Me parece que o caminho para uma candidatura populista e outsider para as próximas eleções cresce a olhos vistos.

PS - Muito bom o seu blog! Parabéns.

junho 23, 2005 10:03 PM  
Blogger xjd7410@gmail.com said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

ray ban sunglasses
polo outlet
cheap jordan shoes
fitflop sale
coach factory outlet
montblanc pens
lebron shoes for kids
louis vuitton handbags
celine outlet
louis vuitton purses
oakley sunglasses wholesale
longchamp outlet
adidas superstar
jordan retro 11
cheap jordan shoes
louis vuitton bags
retro jordans 13
ray ban sunglasses
tiffany jewelry
instyler max
basketball shoes
louis vuitton outlet
michael kors handbags
toms outlet
jordans for sale
retro 11
louis vuitton purses
toms wedges
louis vuitton outlet
michael kors
chenyingying2016723

julho 22, 2016 10:33 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com