quarta-feira, março 02, 2005

Ensinando e Aprendendo

Ontem foi o ultimo encontro do Workshop sobre Ensino do qual participei. Depois de seis semanas, aqui vao alguns comentarios aleatorios sobre o tema e sobre a experiencia.

(1) Minhas expectativas ficaram bem aquem do esperado. Esperava discussoes serias a respeito da questao da aprendizagem/ensino, ganhei um monte de dicas de aplicacao rapida, mas sem muita conexao entre si. No fim, achei que o professor que administrou o workshop estava entediado (!) com tudo aquilo e ficou feliz que tivesse terminado. Acho que foi este o clima que ficou. Seis semanas nao sao suficientes para a importancia do tema. Teoria e pratica de ensino merecem, pelo menos, um semestre, curso completo, se nao mais.

(2) Sahi do workshop completemente convencido da necessidade, mais do que imediata, de implementar em nossos programas de doutorado um curso (ou serie de cursos) voltados para o ensino. Formacao de academicos sem preparacao para ensino?? Ridiculo. Especialmente quando no Brasil a maior parte do tempo de qualquer academico serio eh dedicada ao ensino para a graduacao ou para a pos. Para o ensino basico e medio, nem se fala. Sei que os alunos do doutorado iam chiar, dizer que nao tem tempo, etc. Isto eh um mito. Se realmente querem seguir carreira academica, tem que aceitar que o ensino eh grande parte do pacote. Nao estah satisfeito? Vai fazer MBA.

(3) Fiquei pensando no formato de um curso como este para as nossas necessidades como academicos de Ciencia Politica-Relacoes Internacionais. Seria muito legal promover uma serie de seminarios em que fosse possivel discutir entre os professores e alunos do doutorado questoes de ensino e aprendizagem. Eh impressionante a quantidade de tempo que gastamos dentro da sala de aula (como alunos ou professores) sem quase nunca discutirmos sobre ensino fora dela. O ensino funciona como se fosse uma especie de "magica" que simplesmente "cai do ceu". Ha sempre espaco para melhora e nos deveriamos ser os primeiros a admitir isso.

(4) No fim dessa experiencia, me senti um pouco como um enologo. Passei seis semanas experimentando diversos sabores, combinacoes, gostos e aromas. No fim, para quem tem gosto pelo ensino, dah vontade de sair, comprar algumas garrafas de vinho e beber, ora essa. Tenho vontade de dar aulas, nao como assistente de ensino (como se faz por aqui), mas com alunos e materia de verdade.

(5) Pergunta para os colegas conspiradores: quais sao as impressoes dos senhores? Serah que estou muito entusiasmado? Gostaria de criticas e comentarios a respeito, se possivel.

13 Comentarios:

Blogger BSBNews said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

BB,

sugiro a conversa com JD sobre esse assunto. No meio do papo use as palavras "PH" e "seleção natural" ou "Darwinismo".

Tenho certeza que ele terá boas dicas.

Abç

março 02, 2005 9:20 PM  
Anonymous Anônimo said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Olá BB. Chego cá a vir nem sei donde: foi numa sucessão de clics que encontrei "... prática vs. talento...". E então me fixei no "Minhas expectativas ficaram bem aquem do esperado..."
Está errado "prática versus talento". Situações paradigmáticas complementares não podem estar antagônicas! Inexiste talento sem expressão, externamento, enfim... prática. Coloca-se "prática" no sentido de fazer a coisa certa, e o "talento" está dado pela "coisa certa". Caso isso não foi bem discernido no período de semanas, realmente o curso valeu um zerão à esquerda.

março 04, 2005 12:13 PM  
Anonymous BiaBerna said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Atenção BB. Por erro de operação não saiu no comentário anterior a assinatura: "BiaBerna".

março 04, 2005 12:15 PM  
Blogger jd said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

BB,

Eu tinha exatamente esse sentimento quando sai da faculdade. A diferença é que em História eu precisei fazer 6 (seis) cursos de 1 semestre sobre educação que de nada valeram. Imagine a vontade que eu tinha de beber vinho!!! Distribui mais de 80 curricula pois queria dar aula de qualquer jeito. Infelizmente é assim. Só se aprende fazendo.

Na pós (doutorado) o ensino é visto como uma coisa menor (lembra da frase do FH). Meio que uma obrigação desagradável a ser cumprida as vezes. De preferencia o menos possível.

Abraço,

março 04, 2005 12:21 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caros,

BiaBerna,
Se eu nao achasse que as duas coisas importam igualmente, nao recomendaria o que recomendei no post. Mas sinto discordar: existe sim uma coisa intangivel chamada "talento", "carisma", o que for, em estado puro. Se pequei pela falta de dialetica, desculpe-me.

Se o curso foi um zerao a esquerda? Pode ser. Afinal, recomendei como indispensavel algo de que nao gostei...

JD,
Nao ha qualquer jeito de mudar esta situacao? As aulas para a graduacao nao podem ser dadas de qualquer maneira... O que me deixa triste eh a pouca reflexao que fazemos coletivamente a respeito do ensino em geral.

Abracos.

março 04, 2005 1:59 PM  
Blogger jd said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Este blog desmente seu pessimismo. Estamos refletindo, e muito. Veja meu último post. Obrigado pela idéia!

março 04, 2005 11:44 PM  
Anonymous BiaBerna said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

BB: "... existe sim uma coisa intangivel chamada 'talento', 'carisma', o que for, em estado puro."
Existe no imaginário de BB! Diga daí um caso! Somente com alguma prática o talento é percebido! Todo mundo que faz alguma coisa certa tem talento! Evidente que alguns fazer-coisa-certa aparecem mais, uns repercutem mais que outros.
Arrisca-se dizer que 99,99% dos MBAs são fajutos, ou parciais, ou tacanhos: custam caro e acrescentam ninharias, saber inútil. Todo indivíduo com um curso MBA e interrogado não sabe dizer o que aprendeu! Ou melhor consegue relatar coisas que nem sabe onde empregar.
Os MBAs (que conheço ou ouvi falar) nem mesmo distinguem fato de fenômeno, circunstância de contexto, eficiência de eficácia. Os mestres nem sabem pra que serve o curso que faturam alto.

março 07, 2005 12:10 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Cara BiaBerna,

O imaginario de BB eh fertil, pois.

Se o "talento" ou "carisma" nao existisse de forma pura, seria de se supor que quanto mais uma pessoa "praticasse", mais ela seria "talentosa". O talento nada mais seria do que a pratica ao longo do tempo. Como conheco inumeros casos de pessoas que tem extensa experiencia mas nao sao talentosos, imagino que a variavel "talento" ou "carisma" seja independente da pratica. Mas sugiro que voce nao acredite em mim: sou um mentiroso contumaz. Conspirador, pois.

Quanto aos MBAs, nao poderia concordar mais. Os 99.99% parecem ser um numero assombroso, mas nao me espantaria se assim o fosse. Como sugeri que as pessoas fossem fazer MBAs de uma maneira ironica, retiro o que eu disse: quem nao estiver interessado em ensino deveria "catar coquinhos". Que tal?

Abraco.

março 07, 2005 12:46 PM  
Anonymous BiaBerna said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

BB está a debochar! Está, é? Acho que parece, acho sim que sim!
1. Considerar indivíduo que a beira-mar, na areia seca e fofa, faça um buraco e, com baldinho busque água nas ondas e, despeje no buraco: empreitada sem-fim para chegar a encher o buraco até a superfície. Pois bem, eis um caso de fazer fazer fazer fazer... e não-satisfazer não-satisfazer não-satisfazer... Há prática (fazer adoidado) e não há talento (desfechar). O mantra chave está dado por "fazer a coisa certa". Enquanto não desfechar com coisa-certa não há talento, por mais fazer que se perpetue. Agora considerar que ao invés de um baldinho para transportar a água, o indivíduo puxe água através de uma mangueira fixada numa torneira próxima, de grande vasão. Eis que o buraco vai encher e permanecer cheio para a criançada brincar na piscina. Taí fazer com desfecho supimpa: prática&talento.
2. Tudo bem, ao invés de 99,99% é 95%, 85%... Tanto faz como tanto fez o percentual (alto é!), mas o que interessa mesmo é denotar que há uma picaretagem num negócio ultra urgente, de todo mundo estar a necessitar. Agora te segura o queixo BB! Os profissionais dos MBAs não conseguem explicitar com clareza, nem mesmo idéias sobre "eficácia", "estratégia", "fenômeno" e outros vocábulos básicos. Evidente que os "mestres" MBAs deveriam catar-coquinhos!

março 08, 2005 12:22 PM  
Anonymous BiaBerna said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

BB está a debochar! Está, é? Acho que parece, acho sim que sim!
1. Considerar indivíduo que a beira-mar, na areia seca e fofa, faça um buraco e, com baldinho busque água nas ondas e, despeje no buraco: empreitada sem-fim para chegar a encher o buraco até a superfície. Pois bem, eis um caso de fazer fazer fazer fazer... e não-satisfazer não-satisfazer não-satisfazer... Há prática (fazer adoidado) e não há talento (desfechar). O mantra chave está dado por "fazer a coisa certa". Enquanto não desfechar com coisa-certa não há talento, por mais fazer que se perpetue. Agora considerar que ao invés de um baldinho para transportar a água, o indivíduo puxe água através de uma mangueira fixada numa torneira próxima, de grande vasão. Eis que o buraco vai encher e permanecer cheio para a criançada brincar na piscina. Taí fazer com desfecho supimpa: prática&talento.
2. Tudo bem, ao invés de 99,99% é 95%, 85%... Tanto faz como tanto fez o percentual (alto é!), mas o que interessa mesmo é denotar que há uma picaretagem num negócio ultra urgente, de todo mundo estar a necessitar. Agora te segura o queixo BB! Os profissionais dos MBAs não conseguem explicitar com clareza, nem mesmo idéias sobre "eficácia", "estratégia", "fenômeno" e outros vocábulos básicos. Evidente que os "mestres" MBAs deveriam catar-coquinhos!

março 08, 2005 12:31 PM  
Anonymous BiaBerna said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Evidente que não queria postar repetido! Mas houve demora na operação (a gente tem mais coisas a fazer!), e me passei na jogada! Tudo bem! Não está coisa de fim-de-mundo!

março 08, 2005 12:36 PM  
Anonymous BiaBerna said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Evidente que não queria postar repetido! Mas houve demora na operação (a gente tem mais coisas a fazer!), e me passei na jogada! Tudo bem! Não está coisa de fim-de-mundo!

março 08, 2005 12:38 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Cara BiaBerna,

Deboche? Eu?

Estah claro pelo seu ultimo post que nossas concepcoes do que "talento" significa sao bastante diferentes. No problemo. Este humilde blog nao estah tentando converter ninguem. Desculpe por qualquer coisa.

Quanto aos MBAs, eu concordo novamente! Nada a acrescentar.

Abraco.

março 08, 2005 12:54 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com