sexta-feira, fevereiro 18, 2005

GG & JB

Tem coisas que voce soh consegue ver e ouvir depois de sair do seu pais. E as duas envolvendo o Ministro da Cultura/Compositor/Pensador/Entertainer Gilberto Gil. Acho que as duas valem a pena, por motivos diferentes.

A primeira delas eh a mais recente: ontem (dia 17 de fevereiro), Gil deu uma palestra em Berkeley para uma plateia lotada, entusiasmada e com a maior paciencia pra aguentar o ingles complicado e artistico do Ministro. Falou de muitas coisas: desenvolvimento, ecologia, direitos autorais, cultura digital, entre outras coisas. Quem tiver uma conexao rapida a Internet, tempo a disposicao e interesse, pode assisti-la na integra atraves de RealVideo.

A segunda: descolei essa semana um disco das antigas que jah nao existe mais no Brasil e que soh existe por aqui (lancado pela Verve). Em 1975, nosso atual Ministro e o grande Jorge Ben beberam todas, fumaram todas e tiveram a incrivel ideia de fazer uma "jam session" no sotao da casa do Gil. Pegaram dois violoes, um bongo e um famoso gravadorzinho portatil. Mais insano, impossivel. Mais legal, tambem impossivel. As musicas tem todas uns 10 minutos em que os caras ficam improvisando letras e variacoes em torno de algumas coisas consagradas deles. As versoes de "Nega" (em ingles embromation/junkie) e "Taj Mahal" sao antologicas. Quem vier aos EUA, compre. Quem passar pelo Centro da Cidade, tente conseguir em sebo. Vale a pena.

Vai dizer que morar no exterior nao eh legal as vezes?

4 Comentarios:

Blogger Velvet said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Nada como o segundo lar do rock... Até cd do Gil raro se encontra...

Bjos

fevereiro 18, 2005 11:52 PM  
Blogger Pássaro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

experimentao baratos d aribeiro... tme de td.. =) bjaum

fevereiro 20, 2005 3:27 AM  
Blogger Leo Lichote said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

BB, considero esse disco genial, um dos mais significativos lançado no Brasil em todos os tempos sem exagero.

Não tenho certeza se em algumas faixas ou no disco todo, se ouve o violão e a voz de um no lado direito e os do outro do lado esquerdo. É bom demais ouvir em separado o violão percussivo envolvente de Ben separado do violão de técnica saborosa de Gil e depois juntar tudo. Recomendo a experiência.

"Jurubeba", "Essa é pra tocar no rádio", de letras curtinhas e versões longuíssimas... E a mântrica "Filhos de Gandhi", o que dizer?

fevereiro 22, 2005 8:52 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caro,

Estou completamente viciado nesse disco. Desde que eu comprei, nao consigo ouvir mais nada alem de Gil e Jorge. O disco tem tantas descobertas que daria pra ficar falando dele por uma hora inteira.

"Filhos de Gandhi" deve ser uma das gravacoes mais impressionantes da MPB. Concordo plenamente.

Grande abraco.

fevereiro 22, 2005 11:09 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com