terça-feira, março 01, 2005

Cartas da Zona de Guerra


A face humana do conflito Posted by Hello

Meu irmão me recomendou e me emprestou o livro mais recente de Michael Moore, "Cartas da Zona de Guerra", que é uma coletânea de e-mails enviados a ele por soldados americanos no Iraque, no Afeganistão e em outros postos, incluindo veteranos na reserva e também parentes de militares na ativa.

As cartas são escritas por gente comum que caiu na maior furada de sua vida: a maioria dos remetentes é de jovens pobres, de pequenas cidades americanas, que se alistaram por 5 ou 6 anos nas Forças Armadas, ao sair do segundo grau sem perspectiva de bons empregos e em busca do crédito educacional que lhes possibilitaria cursar uma universidade.

Claro, sabiam que podiam ir para uma guerra, é parte do contrato. Mas é duro ver a face humana desse drama político, com jovens de 19 ou 20 anos que perderam amigos, ou mesmo um marido ou esposa - é impressionante como eles se casam cedo, será um padrão na população dos EUA ou algo exclusivo das Forças Armadas? As cartas dos familiares também são um testemunho doloroso da saudade, da solidão e do desamparo diante da falta de notícias e da frieza da burocracia do Departamento de Defesa.

O retrato que surge da guerra do Iraque é familiar ao noticiário: população hostil, com uma cultura muito diferente, que os jovens soldados não conseguem entender, o calor e a poeira, más condições de higiene etc. Aparece também a falta de equipamento adequado dos militares e o processo de "privatização da guerra", através da ação de companhias particulares de segurança. Os soldados se irritam com o fato de que seus colegas na iniciativa privada recebem até quatro vezes mais, além de evidentemente terem muito menos controle sobre suas atividades.

Impressiona no livro a força da sociedade civil americana, com dezenas de associações voluntárias para dar apoio aos militares no exterior, ou a seus parentes nos EUA. Há até uma organização, Military Families Speak Out, que reúne os opositores da guerra entre as famílias dos membros das Forças Armadas.

1 Comentarios:

Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caro,

Estava discutindo exatamente isto com um colega na semana passada. Mas algumas coisas sao fatos:

(1) Todas as universidades aqui sao pagas, mesmo as publicas. E sao carissimas. A unica chance que um rapaz pobre do meio dos EUA tem de entrar eh o alistamento. As Forcas Armadas realmente pagam toda a formacao universitaria dos soldados.

(2) A atracao que tem as Forcas Armadas por aqui eh enorme. Alguns ateh especulam que enquanto a Guerra do Iraque continuar, parte da questao do desemprego nos EUA estah resolvida -- o Exercito absorve. Ironicamente, eh um "keynesianismo de guerra".

(3) Os americanos casam-se impressionantemente cedo de modo geral. Mas em contrapartida, o indice de divorcios eh altissimo. No meio rural principalmente.

(4) Estando aqui, dah pra perceber de verdade como a sociedade civil eh importante. Tocqueville nao estava errado. Mesmo com toda a atomizacao, o nivel de associativismo aqui eh impressionante -- as pessoas realmente se organizam. Para tudo. Mesmo para a "Associacao Nacional dos Imitadores de Elvis" (Verdade. Existe.).

Grande abraco.

março 01, 2005 12:23 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com