domingo, fevereiro 20, 2005

A Vocação de Todos

"O funcionalismo é a profissão nobre e a vocação de todos. Tomem-se, ao acaso, 20 ou 30 brasileiros em qualquer lugar onde se reúna a nossa sociedade mais culta, todos eles ou foram, ou são, ou hão de ser, empregados públicos, se não eles, seus filhos."

Joaquim Nabuco, político, diplomata e pioneiro das ciências sociais brasileiras, escreveu essas palavras em O Abolicionismo, há uns 120 anos. Me surpreendo em constatar o quanto elas permanecem verdadeiras. Ultimamente, não consigo ir a uma festa, ou passar por uma roda de conversa com mais de quatro pessoas em que não se discuta a oportunidade de um concurso público.

Como leciono num preparatório para o Itamaraty, sempre me perguntam sobre a prova e a carreira diplomática - o chanceler deveria me pagar um pro labore pela quantidade de dúvidas que tiro. É impressionante o quanto meus colegas de pós-graduação estão interessados na possibilidade de ingressar no Ministério das Relações Exteriores, que paga melhor do que as sucateadas universidades públicas, que além disso realizam poucos concursos.

O entusiasmo com o funcionalismo vem, claro, dos problemas econômicos do país e de uma certa saturação no mercado de trabalho de várias profissões. O lado bom dessa situação é que o serviço público está atraindo uma juventude com alta escolarização, recrutada por mérito. No futuro, quando essa geração chegar a cargos de chefia, o impacto sobre a eficiência do Estado será grande. Meu irmão fala com admiração dos jovens juízes, preocupados com temas sociais e outro dia conheci uma moça muito simpática e inteligente numa festa, que lá pelas tantas me contou que é agente especial da Polícia Federal, encarregada da segurança do embaixador dos EUA em Brasília!

Com boas oportunidades de treinamento e formação, o funcionalismo continua a desempenhar o papel identificado por Nabuco: "abriga todos os pobres inteligentes, todos os que têm ambição e capacidade, mas não têm meios, e que são a grande maioria dos nossos homens de merecimento." Troquemos "pobres" por "pessoas da classe média" e creio que teremos um retrato razoavelmente preciso.

4 Comentarios:

Blogger el pupo said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

como brasiliense, servidor federal, filho, neto e bisneto de funcionários públicos, ofereço meu depoimento, pastor, com a graça de deus e inspirado pelo fala que eu te escuto!

discordo de ti em um ponto: acho q o funcionalismo (=patrimonialismo cada vez mais bem-temperado de meritocracia) amarra muitas das energias criativas (clichê!) que seriam fundamentais pra desenvolver o país.

por exemplo, o economista formado pela UnB que é motorista do STF. ou a moça incrivelmente estilosa e bem-articulada que prefere a segurança de um emprego público a montar um negócio próprio de design&RP. ambos sem família, filhos ou compromissos, nos seus 20+ anos. isso é triste. e acho que o problema não é só de estagnação econômica, mas também de mentalidade classemedista.

tomara mesmo que a juventude que hoje chega à burocracia seja mais comprometida com eficiência. acredito que me incluo nessa leva. vejo alguns (muitos!) companheiros de comissariado que se acomodam rapidinho; luto pro mesmo não acontecer comigo.

mas aí eu vim ao culto dos 300 homens santos de israel e pus na mão do senhor. com a graça de jesus, amém!

fevereiro 20, 2005 7:10 PM  
Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Dom Pupo,

acho que existe esse lado ruim que você mencionou, com certeza. Vejo isso em minha própria família com bastante força.

Mas o outro lado da moeda é ter pessoas competentes a serviço do Estado. A mentalidade de alguém contratado por concurso (meu irmão) é bem diferente de quem entrou por clientelismo (meu pai).

fevereiro 21, 2005 10:34 AM  
Blogger Velvet said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Discordo de vcs. Como candidata a funcionária pública, só posso dizer que não foi falta de opção ou medo do mercado: foi vontade mesmo. Aliás, não só eu como muitos que querem ser juízes, promotores ou defensores públicos. Não vejo a hora de ingressar nos quadros do funcionalismo e lá exacerbar minhas energias criativas! ; )

Abs

fevereiro 21, 2005 10:47 PM  
Blogger el pupo said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Velvet: una-se a nós e se jogue no potencial libertador da estabilidade no emprego! ;-)

fevereiro 22, 2005 3:17 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com