domingo, março 06, 2005

Um Jogador


Bem-vindos a Roletemburgo Posted by Hello


Adoro a literatura russa. Ivan Karamazóv sonhando com o Grande Inquisidor e devolvendo a Deus seu bilhete de entrada na humanidade. O príncipe Andrei moribundo no campo de batalha em Austerlitz, olhando para o céu e descobrindo que a glória da guerra é ilusão. Ivan Ilitch se recusando a acreditar em morrer, porque a morte é algo abstrato, que acontece no geral, e nunca numa vida particular como a dele, que teve uma bola de borracha quando criança.

A maoria dos escritores russos foi traduzida no Brasil em segunda mão, a partir de versões em francês. Mas a Editora 34 lançou a coleção "Leste", só com traduções diretas do russo, sob responsabilidade de mestres do ofício como Paulo Bezerra e Boris Schnaiderman. Deste último, acabei de ler a tradução de "Um Jogador", de Dostoiévski.

É um romance curto narrado pelo jovem preceptor de uma família da aristocracia russa, que passa férias no fictício balneário alemão de Roletemburgo, uma cidade cosmopolita onde convivem nobres e altos burgueses de toda a Europa Ocidental, no ambiente de um hotel de luxo e de um cassino.

Em Roletemburgo, todas as relações humanas giram em torno do dinheiro. O centro do enredo são as paixões de um general russo por uma cortesã francesa e da enteada do militar, o vértice de um quadrilátero amoroso que envolve o narrador, um francês e um inglês. A melhor personagem é a avó do general, uma velha, excêntrica e milionária condessa que se vê presa de um súbito entusiasmo pelo jogo.

O próprio Dostoiévski era um obcecado pela roleta e pelo carteado e as descrições da paixão e do nervosismo dos jogadores são magnifícas, bem como o desprezo russo pelas mudanças sociais na Europa burguesa, racional e industrial - as sátiras aos alemães e franceses são especialmente cortantes, bem como a aproximação entre o lado irracional e místico do jogo e a alma nacional russa.

2 Comentarios:

Blogger Velvet said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Esse livro é muito bom! Também adoro literatura russa. Mas acho esse bem atípico, por ser leve.

Abs

março 06, 2005 3:56 PM  
Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Sem dúvida, Velvet. "Um Jogador" é muito bem humorado, ainda que bastante sarcástico. Destoa dos dramas da maioria da literatura russa. A outra exeção é Gogol, em especial na ótima comédia teatral que é "O Inspetor Geral".

março 08, 2005 4:39 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com