sexta-feira, março 18, 2005

George F. Kennan, 1904-2005

George Kennan morreu hoje. Tinha 101 anos. Para quem nao o conhece, o cara foi um dos artifices da chamada "politica de contencao" (ou "containment"), base da estrategia da politica externa norte-americana do pos-Segunda Guerra Mundial. O mais famoso diplomata americano, Kennan praticamente redefiniu o Departamento de Estado, tentando imprimir a "casa" uma feicao mais burocratizada.

Kennan era um dos "velhos realistas" da diplomacia norte-americana. Sabia russo fluentemente e servia na Embaixada Americana em Moscou quando escreveu sua mais famosa "obra": o "longo telegrama" enviado para Washington com uma analise da sociedade e da politica sovietica e a recomendacao do engajamento americano no combate mundial ao comunismo. Achava que a politica mundial deveria ser conduzida nao por democracias (que achava instaveis e sujeitas as flutuacoes da opiniao publica mediocre) mas por uma aristocracia, nos moldes europeus do final do seculo XIX. Alias, Kennan era claramente um homem do seculo XIX, nascido por acidente no seculo XX. Muitas vezes escreveu que o modelo mais suportavel de diplomacia deveria ser o ingles, de acordo com o Parlamentarismo, concentrador de poder do Legislativo e do Executivo em uma soh pessoa. Claro que nos EUA esse tipo de "esquisitice" passava ao longo de qualquer discussao politica seria.

Escreveu um dos livros classicos de RI e da politica externa norte-americana a partir de uma serie de palestras dadas na Universidade de Chicago chamado "American Diplomacy". Para quem tem interesse, eh um livro indispensavel. Kennan representava para a diplomacia norte-americana o maior contraste com outra de suas figuras emblematicas, Dean Acheson. Numa comparacao muito mal-feita, enquanto Kennan seria uma especie de Barao do Rio Branco, Acheson seria uma especie de Joaquim Nabuco da politica exterior do pos-guerra. O realista e o institucionalista.

Pequena trivia: Kennan tinha pavor de latino-americanos. A la Diogo Mainardi, dizia que apos uma visita a regiao no fim dos anos 40, nao conseguia ver nenhum atrativo, nem fisico nem sociologico em nenhum pais da regiao. Mais ainda, dizia que nunca tinha conhecido povo tao feio na sua vida. Ele e o Levi-Strauss, que tambem jah passou dos 100 anos e acho que ainda eh o ultimo estruturalista da antropologia ainda vivo.

2 Comentarios:

Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Soube da morte do Kennan lendo o blog. Se ele tivesse falecido em 1991, teria saído em alta glória, como o homem que inventou a estratégia para derrotar a URSS.

Mas hoje, no mundo dos neo-cons, a conteção é coisa de velhos realistas covardes, o que é cool é a guerra preventiva. Pobre Kennan. Ninguém vive um século impunemente.

março 18, 2005 4:41 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caro,

Eh engracado que voce tenha mencionado isso. Ele tem um livro de 1994 (se nao me engano; desculpa, tambem nao me lembro do nome do livro) em que ele comenta sobre como as pessoas nao entenderam muito bem o "longo telegrama" e tal. Ele ainda fala da queda do muro e do que representava a nova Russia no cenario internacional.

Acho que ele fez o suficiente. Tambem eh preciso lembrar que Kennan eh uma figura atipica da diplomacia norte-americana. De maneira geral, essa corrente de messianismo da PEA vem de muito tempo (vide o destino manifesto).

Quando ele passou dos 80 anos, virou apenas uma curiosidade historica. Muita gente achava ateh que o cara jah tinha morrido.

Mas nao se desespera: com o Wolfowitz na presidencia do Banco Mundial e o Bolton nas Nacoes Unidas, quem precisa dos realistas?

Abraco.

março 18, 2005 6:44 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com