segunda-feira, julho 17, 2006

A Ação Afirmativa das Leis


 Posted by Picasa

Reproduzo abaixo um artigo meu que foi publicado nesta segunda no jornal "Correio Braziliense". Faz parte de uma pesquisa que preparo sobre política externa brasileira e combate ao racismo.

***

A AÇÃO AFIRMATIVA DAS LEIS


A controvérsia sobre a implementação de cotas raciais pelo governo brasileiro trouxe as desigualdades étnicas para o centro do debate político. Nesse contexto, é oportuno lembrar que a Constituição Cidadã de 1988 e os acordos internacionais de direitos humanos dos quais o país é signatário implicam o compromisso com políticas de ação afirmativa e combate ao racismo. Tais medidas também são adotadas por países que à semelhança do Brasil são democracias multiétnicas com graves problemas de inclusão social, como Estados Unidos, Índia e África do Sul.

Nos anos 50 o senador Afonso Arinos propôs a lei 1390/51, que tornou o racismo contravenção penal, tipificando-o como a recusa de entidades públicas ou privadas atenderem uma pessoa por causa da cor da pele. O político afirmou que a lei teve, porém, eficácia mais sociológica do que jurídica , contribuindo para a conscientização da sociedade brasileira sobre o problema do racismo.

Na década seguinte entrou em vigor a Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial (CERD), ratificada pelo Brasil em 1968. Foram os anos do movimento pelos direitos civis nos EUA, da luta contra o apartheid na África do Sul e da descolonização afro-asiática. A CERD tem como referência acordos anteriores, como a Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) e a convenção contra discriminação no emprego, da Organização Internacional do Trabalho (1956). Além de proibir práticas racistas, o artigo segundo da CERD estabelece o compromisso dos Estados em implementar medidas especiais e concretas para garantir que os grupos discriminados tenham acesso aos direitos humanos.

A ação afirmativa ganhou força em tratados posteriores de direitos humanos, como a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (CEDAW, de 1979) e a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (1989), que trata do racismo contra os povos indígenas. O Brasil é signatário de ambas.

A Constituição Cidadã de 1988 guia-se pelos mesmos princípios de valorização da dignidade humana, ao estabelecer como objetivos da República a construção de uma sociedade justa e solidária, com o combate às desigualdades, incluindo as que se originam da intolerância racial. A legislação anti-discriminação foi aprimorada, sobretudo pela leis 7716/89 e 9459/97, que tornaram o racismo crime inafiançável e imprescrítivel e acrescentaram em sua definição as agressões que podem ocorrer por razões religiosas ou de origem regional. Foi aumentada a pena para o crime de injúria, quando este envolve ataques raciais.

À igualdade formal, a Carta Magna acrescentou a preocupação com a igualdade material. É a consciência de que não basta proibir a discriminação, é preciso promover a inclusão de grupos sociais marginalizados através de políticas de ação afirmativa. Medidas com esse objetivo foram adotadas visando à proteção das mulheres (por exemplo, permitindo-lhes aposentar-se mais cedo do que os homens, visto que com freqüência têm dupla jornada de trabalho por cuidarem da casa e da família), e da população negra e indígena. O tratamento diferenciado também se estende às pessoas portadoras de deficiência física, que contam inclusive com cotas nos concursos públicos.

A discriminação racial está na origem do Brasil. O legado brutal dessa prática levou o país a ser uma das sociedades mais desiguais do planeta. Tais características são incompatíveis com a construção de uma nação moderna, dinâmica e democrática. A Constituição e os tratados internacionais de direitos humanos apontam o caminho para a superação das injustiças que caracterizam a história brasileira. Para tanto, é preciso que a opinião pública reconheça a importância da ação do Estado para corrigir a herança de desigualdades sociais e raciais. E deste ponto de partida, passar ao próximo passo: o debate sobre quais as políticas públicas mais adequadas para atingir o objetivo da criação de um país solidário e integrado.

8 Comentarios:

Blogger Gigi said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Otimo artigo! Eu como afrodescentende percebo mais de perto a necessidade de que tais ações sejam implementadas para que possamos ter um país realmente igual. Com toda a complexidade que envolve esta questão e a insistencia de setores da sociedade em nao enxergar essa população e suas necessidades temos uma imensa batalha pela frente.

julho 21, 2006 12:23 PM  
Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Obrigado, Gigi.

Com todas as dificuldades, penso que o debate sobre combate ao racismo avançou imensamente em nosso país nos últimos anos. Mas certamente há muito o que fazer.

Estou lendo uma série de livros muito interessantes sobre os movimentos culturais e políticos dos intelectuais negros nas Américas, na Europa e na África. Em breve escreverei sobre isso por aqui.

Abraços

julho 22, 2006 10:02 AM  
Anonymous Anônimo said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Invocar a Constituição para justificar ações afirmativas é um exercício de duplipensar. Todos os cidadãos são iguais perante a lei, mas uns são mais iguais que outros?

julho 24, 2006 6:43 AM  
Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Anônimo,

a Constituição prevê tratamento diferenciado para grupos de cidadãos que sofram discriminação ou precisem de atenção especial.

No artigo cito os casos das mulheres, deficientes físicos, negros e índios mas também existem outras aplicações semelhantes para idosos e crianças.

A ação afirmativa é não somente compatível com a Constituição como necessária para cumprir as promessas e objetivos expressos na nossa Carta Magna.

A Suprema Corte dos EUA concluiu o mesmo com relação à realidade americana, acrescentando a ressalva (justíssima) de que a ação afirmativa não deve se tornar permanente nos casos de etnias, mas apenas corrigir as distorções oriundas do preconceito racial.

Como diria Mario Quintana: "Democracia é dar a cada um o mesmo ponto de partida.!

Abraços

julho 24, 2006 2:22 PM  
Blogger ninest123 said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

longchamp, ray ban sunglasses, chanel handbags, nike air max, louis vuitton, replica watches, longchamp outlet, louis vuitton outlet, ugg boots, nike roshe run, tory burch outlet, ray ban sunglasses, air max, louis vuitton outlet, uggs on sale, longchamp pas cher, louboutin pas cher, kate spade outlet, louis vuitton, oakley sunglasses, prada outlet, oakley sunglasses, longchamp outlet, gucci outlet, nike air max, nike free, oakley sunglasses, nike free, michael kors, tiffany jewelry, prada handbags, louboutin, polo ralph lauren outlet, christian louboutin outlet, ralph lauren pas cher, replica watches, polo ralph lauren outlet, nike outlet, louboutin shoes, louboutin outlet, sac longchamp, ugg boots, louis vuitton, air jordan pas cher, burberry, oakley sunglasses, jordan shoes, cheap oakley sunglasses, ray ban sunglasses, tiffany and co

junho 20, 2016 9:22 PM  
Blogger ninest123 said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

ugg boots, burberry, burberry outlet online, michael kors outlet, hollister, new balance pas cher, lacoste pas cher, nike free run uk, true religion outlet, nike air max, coach outlet, michael kors outlet, nike air max, michael kors, replica handbags, timberland, vanessa bruno, kate spade handbags, nike blazer, true religion jeans, north face, converse pas cher, true religion jeans, michael kors outlet, ray ban uk, michael kors, oakley pas cher, vans pas cher, michael kors outlet, sac guess, ugg boots, michael kors outlet, coach outlet, tn pas cher, air force, michael kors, coach purses, abercrombie and fitch, michael kors, hermes, hogan, lululemon, nike roshe, true religion jeans, ray ban pas cher, ralph lauren uk, mulberry, nike air max, north face, hollister pas cher

junho 20, 2016 9:22 PM  
Blogger ninest123 said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

insanity workout, valentino shoes, vans, beats by dre, celine handbags, nike air max, mont blanc, nike roshe, ralph lauren, nike trainers, converse outlet, bottega veneta, giuseppe zanotti, ferragamo shoes, herve leger, asics running shoes, louboutin, vans shoes, longchamp, soccer shoes, mac cosmetics, jimmy choo shoes, new balance, hollister, soccer jerseys, hollister, p90x workout, lululemon, north face outlet, chi flat iron, wedding dresses, north face outlet, nike huarache, nike air max, hollister, gucci, oakley, iphone cases, birkin bag, timberland boots, baseball bats, reebok shoes, ray ban, abercrombie and fitch, ghd, mcm handbags, babyliss, nfl jerseys, instyler, converse

junho 20, 2016 9:30 PM  
Blogger ninest123 said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

moncler, canada goose outlet, canada goose outlet, swarovski crystal, thomas sabo, louis vuitton, pandora jewelry, wedding dresses, pandora jewelry, moncler, supra shoes, ugg,uggs,uggs canada, pandora charms, moncler, canada goose, swarovski, lancel, barbour jackets, ugg,ugg australia,ugg italia, moncler, moncler, moncler outlet, canada goose uk, karen millen, moncler, barbour, canada goose, hollister, montre pas cher, marc jacobs, pandora charms, juicy couture outlet, toms shoes, moncler, replica watches, sac louis vuitton pas cher, bottes ugg, doudoune canada goose, juicy couture outlet, ugg boots uk, ugg pas cher, links of london, canada goose, louis vuitton, louis vuitton, canada goose, louis vuitton, coach outlet

junho 20, 2016 9:34 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com