terça-feira, abril 19, 2005

O Mundo eh Plano?

Tenho uma brincadeira com os amigos. Durante a preparacao para os exames qualificatorios, costumavamos dizer que nao queriamos ser vitimas da "maldicao de Friedman". A maldicao diz que a cada livro escrito por Thomas Friedman (o mais famoso colunista do New York Times) ha uma queda proporcional de qualidade de analise. Brincadeiras a parte, Friedman eh um "popularizador" da pesquisa academica sobre globalizacao, o que faz com que ganhe relevancia e seja lido por um publico bem mais amplo do que aqueles que leem a obra de David Held.

Seu livro "The Lexus and the Olive Tree" eh muito, muito ruim. Escrito na metade da decada de 90, Friedman tenta "explicar" o processo de globalizacao. O livro eh acritico, paranoico e panfletario. Sua tese eh de que a globalizacao eh uma forca exclusivamente benefica e inevitavel, cujos efeitos sao sentidos por igual nao importa onde estajamos no mundo. Eh a popularizacao daquela visao de que "agora todo o mundo assiste a CNN e come no McDonalds". Friedman esquece que a maior parte do mundo vive com menos de 2 dolares por dia, nao fala ingles e nao tem sequer um McDonalds a quilometros de distancia de onde moram. Ainda fico revoltado quando este livro eh adotado como livro introdutorio nas aulas da graduacao em Politica Internacional daqui.

Escrevo este post porque acabei de ler seu novo livro, "The World is Flat". Novamente Friedman apresenta sua visao empobrecida e sem nuances da realidade global atual. Sua tese continua, mas em vez do tom otimista do primeiro livro, agora Freidman adverte a classe media norte-americana de que "o mundo eh plano", isto eh, India e China estao competindo diretamente com os EUA por empregos e a producao americana no campo tecnologico estah sendo terceirizada para estes paises. Algumas passagens do livro sao risiveis pela ingenuidade analitica, mas Friedman consegue perceber um problema que eh real: a cada dia, os EUA produzem menos engenheiros e tecnicos, enquanto India e China se preparam de maneira intensa para o desenvolvimento sustentado.

A Economist detestou o livro -- pelos mesmos motivos que eu. Mas se a revista recomenda que se leia Bagwati, eu nao. Por que eh tao dificil escrever um livro que seja popular e critico a respeito do processo de globalizacao? (Como recomendacao: entre os bons livros sobre globalizacao estao os livros recentes do Rubens Ricupero, recomendados pelo Mauricio para mim ha um ano atras -- leitura indispensavel).

2 Comentarios:

Blogger Mauricio Santoro said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Caro,

leciono o Friedman junto com Fukuyama, e a companhia diz alguma coisa. O que me impressiona é que ele havia escrito um dos melhores relatos jornalísticos que conheço, "De Beirute a Jerusalém". As pessoas às vezes pioram com o tempo.

Quanto à teoria do McDonalds, um aluno me fez uma ótima pergunta: "Peraí, mas a Argentina e a Inglaterra têm McDonalds e se enfrentaram na guerra das Malvinas!"

Explica essa, mr. Friedman.

Abraços,
Mauricio

PS - E o novo papa? PQP!!!!

abril 19, 2005 6:04 PM  
Blogger BB said... Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Tambem acabei de saber sobre o Ratzinger. Putz grila, carambolas!!

Vou esperar para ler algo produzido pelo jd.

Enquanto isso, me lembro da entrevista antologica do Leonardo Boff na Caros Amigos em que ele descreveu as sessoes de tortura mental promovidas pelo futuro Bento 16.

Nao sei a opiniao do Daniel, mas me parece que o Vaticano se acovardou. Acho que a ideia foi promover um papado de transicao ateh que todo mundo esqueca o JPII. Serah?

Abraco.

PS - Tambem acho o "De Beirute a Jerusalem" um livraco. Recomendo fortemente. Dahi eh que vem a tal "maldicao"...

abril 19, 2005 6:21 PM  

Postar um comentário

<< Home

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons License. Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com